ENSAIO

Ofir Ashery




VIVEMOS EM UM MUNDO DE FORMAS, MAS SOMOS UMA EXPERIÊNCIA DISFORME.

Somos uma experiência disforme nos manifestando em um mundo de formas. Somos Almas, Espíritos, Luz, Natureza, Egos, Deuses, Ātmans, AnĀtman, Infinito, Pontos... Todos predestinados a entender, comunicar e até mesmo existir em Formas.

Disforma e Forma são interdependentes, são UM. Não podemos atuar, questionar ou entender sem Formas e sem um impulso Disforme. Quebramos Formas, as reformulamos e as criamos outra vez; tudo enquanto experienciamos a experiência Disforme. Estamos constantemente nos ponderando entre um ser disforme e as formas com o qual se manifesta. Podemos tomar consciência disso - deste estado sempre presente de equilíbrio - em diferentes formas, tais como: ao tentar dizer algo que não podemos (como na poesia ou nestas palavras, por exemplo), ao olhar para uma árvore dançando nos questionamentos no amor e no simples ato de viver.

Este Estado de Equilíbrio também está presente em escalas maiores. Formas das artes, Formas de pesquisa, Formas de cultura, Formas de cerimônias - todas oscilam em torno disso. Eles reconhecem tanto o ato poético quanto seu resultado estético. Eles geralmente respeitam o equilíbrio, mesmo quando são lançados em um longo balanço, fora dele.


Mas às vezes o equilíbrio é esquecido.

Este é, ao meu ver, o maior problema em Formas de Política e Formas de Sociedade hoje em dia. Na verdade, parece que essas Formas estão tentando matar a experiência sem Forma. Ao fazer isso, a Política e a Sociedade Moderna ficaram profundamente presas no reino das formas e agora estão prestes a se perder nele. A sociedade humana moderna baseou-se em formas, consome formas e produz formas. Palavras sobre estruturas e formas quebraram o equilíbrio e estão tentando eliminar a falta de forma. Vivemos em uma sociedade desfigurada e repleta de camadas,

na qual as melhores mentiras e os ‘fatos alternativos’ se tornam as ‘melhores verdades’.



É um pouco semelhante a criar uma pintura usando uma quantidade excessiva de cores e pinceladas e depois descobrir que a tela se tornou uma bagunça cinza. Mas enquanto um ato como esse provavelmente está tentando mostrar a Sem Forma através das Formas - a sociedade moderna está tentando esconder a Sem Forma sob as Formas.

E enquanto uma pintura como essa usa Formas feitas de luz e matéria, as formas políticas usam principalmente Formas feitas de Medo e Ódio.


Esta decadência de formas e decadência de espírito é dolorosamente visível em meu país natal, Israel. Quase tudo aqui teve um movimento extremamente destrutivo fora de equilíbrio e no reino das Formas. O medo das formas do anti-semitismo manteve as formas do povo judeu em formas duradouras de vítimas. Formas duradouras de vítimas transformaram a Forma do governo israelense em Formas de Opressores. Medo em ódio, em racismo. Formas de fascismo. Formas de Exército. Formas de Guerrilha. Formas do Terror. Formas de extremismo religioso, tanto na Forma do Judaísmo quanto na Forma do Islã, estão usando desculpas “sem forma” para justificar formas de guerra.



A queda do equilíbrio e a inevitável colisão de Formas no Oriente Médio não são excepcionais, é um pequeno exemplo de algo que vem acontecendo em quase todas as formas de política e sociedade ao redor do mundo. A falta de forma foi esquecida e negada por muito tempo. Não há equilíbrio. Tem existido uma produção, consumo e exaustão maciça sem sentido das Formas. Formas de medo, Formas de ódio, Formas que separam as pessoas das pessoas e as pessoas delas mesmas, Formas que traçam fronteiras, Formas que afogam as formas e escondem o sol.

                                                               

  Mas,

                                                                        Uma mudança está acontecendo.



A nova experiência sem forma, que está se manifestando na forma de Covid-19, tem um grande potencial para iniciar um movimento de volta ao equilíbrio. Na verdade, já começou. Formas estão explodindo nas mãos dos opressores e sob seus pés. “Líderes democráticos”, como B.B Mouse e Donald Duck, não podem mais se esconder sob suas camadas e castelos de formas e são revelados como formas de reis nus. Formas de racismo e ódio estão sendo expostas. As formas da economia capitalista param de funcionar. As formas estão se abaixando, voltando ao equilíbrio.

E quando as Formas que funcionam mal estão se quebrando, a Sem Forma está despertando, se movendo em direção ao Equilíbrio e está fazendo isso da única maneira que pode, manifestando-se em novas Formas. Tornando-se voz em protestos em todo o mundo. Tornando-se palavras de novas idéias. Novas formas de ordem. A falta de forma trazida para as formas de revolução. Formas de igualdade. Formas de criatividade. Formas de Amor. Formas sem fronteiras. Formas que não rejeitam a experiência sem forma, mas entendem que são um com ela. Formas que valorizam a experiência sem Forma, que se equilibram com ela, a expressam e a celebram.



                                                                             

 Nesses dias há esperança!!






Ofir Ashery (1993) é  um poeta e escritor israelense baseado em Tel Aviv.

MJOURNAL ED.004 - FLOR DE CEM, RAIZ DE MIL.