Gabriela Campos ︎
Wanessa Yano ︎




Imagem:   

mejn / Adobe stock

Novas  figurações, tempados* & elaborações




 
O objeto não foi realizado, mas os tempos sombrios sim**



A elucidação de novos caminhos são avistados no horizonte atlântico da emancipação. São rotas já conhecidas e a alvorada pulsa em direção de novas construções possíveis. São movimentos de retomada, tempados, caminhos outrora visitados e que seguem de alguma forma mantidos em nós.


Chuvas vão cair**, o fruto já caiu e foi abraçado pela terra, mas a árvore ficou***.




E...

Os tempos sombrios seguem em curso.




Sabe-se a forma, a cor, o cheiro, e o jeito. E a quem novamente caberá o papel de fornecer e permitir? A quem cabe a desejada complacência? A quem novamente passa, vive, materializa no corpo o gozar da existência? Sabe-se os quens.



A chuva molha tanto.**




Os tempos sombrios findam.




Mesmo quando o dia traz a luz e a elucidação de novos caminhos são avistados no horizonte atlântico da emancipação. Navegamos por rotas conhecidas, observando a alvorada que pulsa em direção concretizando nossas intenções.


A árvore ficou e os caminhos ainda são mantidos em nós sob o eco de nossa própria voz.


Tente esquecer em que ano estamos [...]
Rasgue a camisa e enxugue teu pranto**.



O objeto ainda pode ser realizado.
















* expressão para relacionar o tempo passado pelo encantado sr. Exu Caveira
** frase de Carmela Gross
*** trechos de Memória Modesta - Luiz Melodia
**** frase do livro Torto Arado de Itamar Vieira Júnior
***** trechos de Pérola Negra - Luiz Melodia, Arnaldo Passos & Helio Nascimento