CADERNO MODA BR 1003 - HAIGHT por Marcella Franklin


Igi Lola Ayedun




Fotos :  Mylena Saza  

Styling: Camila Vaz Modelos: Weslley Baiano y Gzebel (Another)


MOVIMENTO ALÉM MAR.


Em entrevista, Marcella Franklin, fundadora y diretora criativa da HAIGHT, conta sobre os desafios de sustentar uma marca de luxo brasileira em meio à pandemia y as visões de futuro de uma geração de marcas nativas de Instagram que vieram pra ficar.



[19:07, 12/05/2020]   
                                                     Igi: Oyoyo, Ma
                                                    
                                                     Igi: Igi falando
                                                     Igi: 💕



[19:08, 12/05/2020]
                                                    Mah Franklin: Oi Igi! tudo bom?
                                                    Mah Franklin: como estão por ai?

[19:09, 12/05/2020] Igi: Tudo bem, sim, y com vc?


                                                    Mah Franklin: que bom! :) tudo sim, todos com saúde tb

[19:10, 12/05/2020] Igi: Maras
                                                 Igi: Então, não sei se vc percebeu mas as entrevistas do MJ são feitas por aqui. Então, na real, vamos tc por uns minutos.


                                                    Mah Franklin: sim, sim! eu vi na primeira edição :)
                                                    Mah Franklin: maravilha

[19:12, 12/05/2020] Igi: mas, então, acho que têm muitas coisas do universo Haight que eu gostaria de saber... mas antes de falar sobre a marca em si, me fala um pouco sobre Alento? Enquanto substantivo significativo pra vc y pra coleção?


                                                 Mah Franklin: do próprio significado da palavra, alento é energia, entusiasmo, fôlego, respiração.
                                                 Mah Franklin: essa campanha foi idealizada e fotografada semanas antes da pandemia, mas o assunto central nunca esteve tão atual, né?

[19:15, 12/05/2020] Igi: não mesmo.


                                                Mah Franklin: acabou ganhando um significado ainda maior depois de que tudo isso começou.

                                                 Igi: mas você lembra em que momento vc estava antes de vcs abrirem o set dessa campanha?


                                              Mah Franklin: na coleção a gente quis falar de conexão, de ligação, presença. Da percepção e presença do todo. Da energia do todo preenchendo cada parte. Nas campanhas a Haight retratou processos singulares de busca. Conexão da paisagem interna da mulher com a natureza, olhar para dentro.
                                              Mah Franklin: no nosso último desfile falamos sobre esse olhar para dentro, passar por todas as camadas da pisque até se perceber como única. E então chegar ao seu maior potencial.

[19:21, 12/05/2020] Igi: interessante...


                                              Mah Franklin: agora estamos nos percebendo como parte da terra e do todo, parte da natureza, de uma energia única.
                                              Mah Franklin: eu posso dizer que estava (e ainda estou) em um momento de reflexões constantes, de troca, de percepção.
                                              Mah Franklin: com a Haight estava planejando colocar em prática alguns projetos especiais ligados a assuntos que valorizamos muito, mas que com a correria de calendário, entregas, passos que estávamos dando como empresa, não tínhamos conseguido tirar do papel ainda.. dentro de tantas prioridades com datas de entrega fixas, acabavam ficando como segundo plano e não aconteciam.
                                             Mah Franklin: estávamos nesse momento de entender a importância de colocá-los em prática e planejando como faríamos para isso acontecer.

[19:28, 12/05/2020] Igi: vc falou aqui, sobre enxergar na identidade conceitual da Haight, uma trajetória gradativa… esse lugar de, hoje, olhar pra si.

                                                  Igi: quais são as semelhanças identitárias da Haight com a sua própria vida? quem era a Marcela que fundou a marca y quem é ela hoje?


                                             Mah Franklin: Acredito que como todo criador, posso dizer que a Haight é um dos lugares por onde me expresso, por isso acaba sendo um uma extensão de mim. Mas a Haight também vai além da Marcella. É o resultado do encontro de várias cabeças que admiro. Se eu tivesse que listar essas características, eu diria que a conexão com uma natureza imponente, o atenção aos os detalhes e escolhas, valorização das pessoas ao redor, valorização da simplicidade.
                                            Mah Franklin: E sobre a Marcella que fundou a marca e quem ela é hoje..
                                            Mah Franklin: As duas Marcellas tem em comum a vontade de aprender e melhorar sempre..
Eu acho que fui evoluindo e a aprendendo bastante durante esse percurso de marca. Desde entender um potencial que tive que descobrir em mim como empreendedora e gestora de um negócio, até entender alguns aspectos de vida que são realmente importantes para mim. E desenvolver alguns valores de marca ligados a eles.

[19:45, 12/05/2020] Igi: Me conta um pouco dessa configuração mais coletiva da marca?

                                                  Igi: Ma, qual é seu signo?


                                           Mah Franklin: peixes, ascendente em gêmeos, lua em virgem.
                                           Mah Franklin: por isso a demora nas respostas rs desculpe

                              

                                                  Igi: kkkkk


                                           Mah Franklin: kkkk

                              

                                                  Igi: sagaz
                                                  Igi: mas nao se sinta pressionada
                                                  Igi: mas entendo o lance gemeos y virgem
                                                  Igi: temos isso em comum



                                          Mah Franklin: durante os primeiros anos da Haight eu tocava a Haight sozinha, acumulando todas as funções, como a gente sabe que funciona rs
depois contratei uma estagiária, uma pessoa para me ajudar com o financeiro.. no terceiro ano aumentamos o time para 4 pessoas, no ano passado fomos para 11 e esse ano estamos com 22 pessoas no escritório e 9 na equipe de loja
                                          Mah Franklin: Eu tenho um sócio desde o início da marca, que cuidava da parte macro financeira, mas não estava operacionalmente. Hoje ele é nosso CEO e mesmo a distância está super presente em todos os nossos passos.
                                          Mah Franklin: hahahaha 😬😓
                                          Mah Franklin: ah, então vc me entende! 😅

[19:55, 12/05/2020] Igi: mas nas poucas trocas remotas de dm que tivemos, eu sempre senti uma preocupação muito grande com a equipe da sua parte.
                                                   Igi: ok, que isso é o normal..
                                                   Igi: mas entendendo esse crescimento gradativo y expansivo, pq né, em três anos de 4 para 22+ é um passo gigantesco.
                                                   Igi: qual é o papel da sua equipe nos processos de construção de trabalho, além das funções que cada um exerce ali?
                                                   Igi: tipo, como são feitas as decisões, os processos, as ideias....
                                                   Igi: sei lá, não sei se é pq tem o Iury que trabalha contigo y eu conheço muito ele, mas tenho essa impressão de que a Haight é uma família.



                                               Mah Franklin: sim!! :)

                       

                                                    Igi: não apenas uma marca, sabe? y eu acho que a comunicação de vcs tem mto disso. Tipo, essa coisa de postar o niver de todo mundo...
                                                    Igi: y feitos y dados



                                             Mah Franklin: sim!! total :)

[19:58, 12/05/2020] Igi: sei lá, sempre quando é niver de alguém da Haight eu me vejo falando... nossa!!! q legal, fulana faz niver nesse mês....
                                                    Igi: y tipo isso não tem nada a ver com a minha vida, sabe? mas causa um calorzinho
                                                    Igi: uma sensação familiar...
                                                    Igi: y eu queria entender um pouco mais disso
                                                    Igi: como vc vê isso... OU PLANEJA ISSO, já que tem gêmeos y virgem... kkkkk



                                             Mah Franklin: Sem dúvida cada passo da marca foi fruto de muita dedicação e digo com toda a convicção que minha equipe foi essencial para cada movimento!
                                             Mah Franklin: eu tenho a grande sorte de ter uma equipe muito dedicada, extremamente talentosa e, principalmente, que acredita muito na Haight e em todos os projetos que estamos desenvolvendo.
                                             Mah Franklin: não só a equipe interna, mas toda a equipe de campanha que está comigo desde a primeira coleção.. eles foram fundamentais para cada passo e eu tenho uma troca muito boa e sempre muito rica com eles.

[20:01, 12/05/2020] Igi: y a família? y os nivers? y esse cuidado todo em sempre citá-los? y esse mood, quase espiritual de conexões?
                                                   Igi: ninguém nunca te falou isso, não?



                                             Mah Franklin: principalmente com o time de mkt e design, que participa de toda a construção da nossa comunicação junto comigo.
                                             Mah Franklin: a gente tem um "comitê de branding" onde debatemos sobre vários assuntos, temos reflexões constantes, trazemos novas idéias, e discutimos alguns passos como marca. É uma troca deliciosa e muito valiosa.
                                             Mah Franklin: ❤️❤️❤️❤️

[20:04, 12/05/2020] Igi: COMITÊ DE BRANDING??? me conta?  tipo um STF?
um STF da identidade de marca?



                                           Mah Franklin: sim! é uma forma de mostrar que temos muito orgulho de ter cada membro da nossa equipe com a gente. Uma forma de homenagear e agradecer  🌹
                                           Mah Franklin: hahahaha sim!

[20:06, 12/05/2020] Igi: y de dividir protagonismos tbm? ou descentralizar?


                                          Mah Franklin: é que tem algumas pessoas do time que não necessariamente tem uma função de mkt ou branding na empresa, mas que entendem e vivem muito o universo da marca e com quem eu sempre tenho os melhores papos.
                                          Mah Franklin: e desses papos, saem as melhores idéias, as melhores respostas, a gente pensa junto e chega em um resultado a muitas mãos.
                                          Mah Franklin: sim!
                                          Mah Franklin: é uma delícia, sempre

[20:08, 12/05/2020] Igi: ou seja: de alguma forma quase 360graus da empresa tem opinião válida na construção identitária da marca, y não só, um lance regido por UM departamento?
                                                    Igi: amo, quantos anos vc tem?



                                         Mah Franklin: a Nina, nossa designer gráfica, por exemplo, faz parte do nosso comitê de branding e é super envolvida nesses papos. Além do Iury, que cuida de assessoria, PR e faz parte do núcleo criativo do desfile, da Mari, que entrou no início do ano para cuidar dos projetos especiais e faz nossos textos.
                                         Mah Franklin: O Pedro, meu namorado, que fotografa para a marca tb as vezes participa de algumas dessas discussões.. O Tep, nosso diretor de arte tb.
                                         Mah Franklin: com certeza!
                                         Mah Franklin: eu acho muito importante ouvir todo mundo que está lá vivendo o dia a dia da marca e ajudando a construí-la com a gente.
                                         Mah Franklin: diferentes perspectivas sobre vários assuntos.

[20:12, 12/05/2020] Igi: isso é super importante


                                       Mah Franklin: com certeza essa colaboração e contribuição de todos deixa o processo muito mais valioso e o resultado acaba ficando ainda melhor.

[20:15, 12/05/2020] Igi: sim acredito mto nisso tbm
                                                   Igi: y, me fala um pouco sobre seus processos de internacionalização?
                                                   Igi: você está em muitos lugares y talvez esse seja um reflexo de uma marca DTC (direto para o consumidor*) da sua geração ( tô trabalhando com a suposição de saber sua idade kkk)
                                                   Igi: mas, ainda assim, considerando as estruturas do mercado nacional, é impossível não notarmos um certo fenômeno aí...


                                         Mah Franklin: kkk tenho 32!

[20:18, 12/05/2020] Igi: pelo tempo de marca, seus meros 32 anos y tbm estrutura de marca...


                                         Mah Franklin: a gente começou a exportar no terceiro ano de marca, em 2017. Sempre tivemos vontade de expandir para fora do Brasil, levar um outro tipo de beachwear brasileiro (um pouco distante dos padrões e estereótipos criados) para o mundo.
                                         Mah Franklin: mas não achava que seria não cedo.. acabou acontecendo organicamente. Ainda em 2015, no segundo iniciozinho da marca a dona de um showroom de NY entrou em contato comigo pelo instagram querendo representar a marca lá fora.

[20:20, 12/05/2020] Igi: Acho que todo designer brasileiro com pés fincados no minimalismo possuem o mesmo rolê de exportar ideias além dos padrões y estereótipos criados de brasil pro mundo.
                                                    Igi: o q eu acho estranho, né? pq o minimalismo brasileiro em si é, tbm, parte de um clichê modernista.
                                                    Igi: mas vc já nasceu imaginando uma marca global?
                                                    Igi: que fosse global, ou que pudesse ser?



                                            Mah Franklin: é claro que para mim foi uma super notícia! mas eu não podia me comprometer com uma entrega internacional na época.. minha equipe era apenas eu e uma estagiária.. e eu ainda não conseguia prazos de entrega assertivos com as fábricas devido a pequena produção.
                                            Mah Franklin: então ela manteve o contato comigo e em 2017 começamos.
                                            Mah Franklin: é, a escolha de uma modelagem mais minimalista em cartela de cores mais sóbrias veio inicialmente pela minha vontade em consumir produtos com esse perfil, sem encontrar no mercado brasileiro.
                                            Mah Franklin: aí eu trouxe uma vontade em testar novos materiais, volumes e proporções e acho que esse produto acabou indo para um caminho diferente da maioria das marcas brasileiras que estavam no showroom e ela se interessou.


[20:27, 12/05/2020] Igi: y dentro dos processos de midiatização da marca para projetá-la internacionalmente? como isso aconteceu?
                                                   Igi: tipo, você participava de feiras, showrooms, já apresentou a coleção na gringa, desfiles?
                                                   Igi: ou foram as redes sociais a sua principal vitrine para essa expansão internacional, tbm?


                                            Mah Franklin: na verdade a gente começou a exportar meio que no susto. Nesse ano de início a nossa representante veio ao Brasil, viu a coleção e literalmente falou "Marcella, se vira, mas quero essa coleção lá em NY daqui a um mês" kkk
                                            Mah Franklin: aí foi uma loucura, correria para montar um mostruário e mandar
                                            Mah Franklin: então acabamos começando sem um planejamento específico ou estratégia de comunicação ou contrato com algum PR.

[20:30, 12/05/2020] Igi: y de NY saem todas as outras vendas? Tipo, Portugal, Austrália, Emirados Árabes...


                                           Mah Franklin: na época não tínhamos nem e-commerce ainda. toda a comunicação era em torno do instagram
                                           Mah Franklin: estávamos começando a montar o site
                                           Mah Franklin: isso.. a maior parte dos clientes deles são americanos, mas atendem alguns clientes maiores globais

[20:33, 12/05/2020] Igi: então seu business inteiro funciona em torno de uma representação?
[20:33, 12/05/2020] Igi: além da sua matriz aqui no brasil, obviamente.



                                          Mah Franklin: sim, participamos desse showroom em NY e de um em SP que atende aos nossos clientes de atacado aqui no Brasil.

[20:34, 12/05/2020] Igi: vc falou sobre antes ter sua comunicação toda baseada no Instagram...
                                                    Igi: quero ainda falar de internacionalização...
                                                    Igi: mas antes queria saber como vc vê o peso dessa rede social para os estilistas da sua geração?


                                          Mah Franklin: nossa, o instagram é a ferramenta para tornar o sonho real
                                          Mah Franklin: e acho que ainda vai ser durante muito tempo

[20:36, 12/05/2020] Igi: me explica mais esse sonho real?
                                                    Igi: o que se tornou possível para sua marca por causa do instagram, que vc acredita que talvez não seria se nós não estivéssemos tão conectados?


                                         Mah Franklin: interface simples, fácil de ser criada, sem custo e que te coloca em contato direto com o consumidor, espectador ou engajador da marca.
                                         Mah Franklin: você consegue construir a imagem de marca e a sua linguagem e ainda ter uma troca direta com o público. Na época em que eu criei o da Haight ainda não existiam stories ou essas últimas funções de interação como enquetes, etc.
                                         Mah Franklin: e mesmo assim era possível mostrar um conceito, uma proposta de marca que vai além do produto e de fato entrar no mercado
                                         Mah Franklin: eu sempre fui bastante preocupada com a construção da imagem da marca no instagram desde o início e acredito que essa composição tenha sido responsável por boa parte dos acessos e início de relacionamentos com a marca,

[20:40, 12/05/2020] Igi: Agora, me conta como foi transpor tudo isso para as duas lojas fisicas da marca? Sp y Rj, correto?

                                                    Igi: Se o Instagram é tão incrivel assim, porque vc decidiu investir em um lugar fisico?


                                Mah Franklin: sim, Rio e SP :)
                                Mah Franklin: foram vários motivos.. eu tinha vontade de ter um contato físico com o cliente, conversar, ver o produto ser vestido, ter um feedback em relação as modelagens.. além de vontade de traduzir o universo da marca e de nossas campanhas em um espaço físico, que trouxesse um pouco do que entendemos como nosso ambiente.
                               Mah Franklin: trazer um pouco de experiência de marca.

[20:46, 12/05/2020] Igi: Y como tem sido o distanciamento social pra vc com os mercados fechados, pouco tempo após o lançamento desses dois grandes investimentos?


                                Mah Franklin: pois é.. é claro que ninguém nem poderia imaginar um acontecimento como esse.
                                Mah Franklin: quando tudo isso começou, a primeira coisa que fizemos foi fechar as lojas sem pensar duas vezes. A gente começou o trabalho em homeoffice da equipe de escritório e fechamos as lojas antes até de ser decretado.. no dia 17 de Março sabiamos que duas lojas fechadas teriam um impacto absurdo no nosso faturamento e no resultado da empresa, obviamente.. Mas fechamos ainda sem fazer nenhuma conta, sem pensar duas vezes. Priorizando a saúde, claro.

[20:52, 12/05/2020] Igi: y como estão os processos operacionais?
                                                    Igi: vi que vc optou por uma cadeia de descontos y que o e-commerce está funcionando, mas os resultados têm sido positivos?



                                 Mah Franklin: e aí começou um momento de reflexões intensas em relação à sociedade, as relações, aos efeitos sociais, a saúde pública, aos reais e drásticos efeitos que essa pandemia poderia gerar na sociedade.. em paralelo a reflexões sobre como buscar formas de manter a empresa e tudo o que construímos até hoje de pé durante esse período, com uma certeza de efeitos financeiros drásticos e imediatos, mas nenhuma certeza do que aconteceria uma semana depois dali..

[20:54, 12/05/2020] Igi: sim, acho que foi um choque pra todo mundo em várias escalas


                                 Mah Franklin: sim, tendo o site como único canal operando e um custo fixo de duas lojas, precisávamos tentar trazer mais tráfego para o site para tentar de alguma forma suavizar os efeitos que a gente sabia que seriam muito grandes
                                 Mah Franklin: aí foi uma medida que encontramos em primeiro momento..

[20:55, 12/05/2020] Igi: y sendo uma marca com um braço forte em exportação, como esse lado do mercado está se desenvolvendo durante a pandemia?


                                Mah Franklin: e então começamos uma série de reflexões e determinação de medidas para garantir a operação da expedição de forma segura.
                                Mah Franklin: também está bastante complicado.. tivemos redução ou cancelamentos de vários pedidos que já tinham sido feitos e estavam em produção.
                                Mah Franklin: paramos as fábricas e todas as produções
                                Mah Franklin: teríamos agora em maio a apresentação da coleção de Resort, que é uma das mais fortes para o beachwear, mas paramos os desenvolvimentos e montagens de mostruários. Temos tido várias conversas com a nossa representante sobre o mercado de lá tb.. estamos mudando algumas decisões.. mudamos o calendário, fizemos uma boa redução do mix da coleção.

[21:03, 12/05/2020] Igi: é eu acho que o mercado internacional será mais exigente tbm, vc não acha?

                                                  Igi: tanto em relação às estruturas envolvidas nos processos de criação dos produtos, quanto tbm mais seletivos...
                                                  Igi: fico pensando muito nisso... em entender como seriam as marcas da geração pós-Covid nessa perspectiva global
                                                  Igi: Mas, Ma, já estamos falando demais y depois vai ser pesado editar aqui.
                                                  Igi: kkkk
                                                  Igi: me fala uma coisa, como vc imagina a Haight no futuro y o que vc deseja pra ela em aspectos conceituais, criativos y de negocio?


                                Mah Franklin: estamos vendo que vai existir (já está tendo) uma mudança muito grande no mercado de moda.. E eu apesar de preocupada em manter a marca de pé depois que tudo isso passar, de alguma forma estou ansiosa por essa mudança. Tenho certeza de que as marcas e os consumidores vão se relacionar de outra forma, vão ter um outro tipo de conexão e troca, muito além do produto.
                                Mah Franklin: Eu vejo a haight mais digital, claro. Falando com mais gente. E ainda mais colaborativa.
                                Mah Franklin: Quero realizar os projetos especiais ligados trabalho de mulheres criativas que a gente tanto acredita. Seguir e evoluir com alguns movimentos ligados a causas sociais que estamos iniciando.

[21:22, 12/05/2020] Igi: Y sobre o futuro do mundo?


                                 Mah Franklin: Sobre o futuro do mundo eu tendo a ser otimista. Quero acreditar que vai haver uma mudança estrutural e uma ruptura do ritmo que as coisas eram levadas. Acredito que muitas fichas caíram durante esse período e que os valores ficaram mais claros, as prioridades mudaram. Gostaria que as pessoas estivessem mais conectadas umas com as outras e com a natureza.

[21:29, 12/05/2020] Igi: Tudo, Ma, que assim seja.

[21:30, 12/05/2020] Igi: mto obrigada


                                 Mah Franklin: obrigada você!!
                                 Mah Franklin: muito obrigada pelo convite 💕
                                 Mah Franklin: e parabéns mais uma vez! MJ está incrível demais.! li todo no final de semana e fiquei querendo mais!

[21:36, 12/05/2020] Igi: ❤️

                                                   Igi: magina, as vzes eu entro num fluxo de ser muito responsiva y crio expectativas
                                                   Igi: mas consegui me conter y deu tudo certo
                                                   Igi: kkkk
                                                   Igi: obg por ter topado, por toda a colaboração, espero que vc goste da capa


                                Mah Franklin: hahaha desculpa!!
                                Mah Franklin: com certeza vou amar! ansiosa para ver as fotos!
                                Mah Franklin: eu amo o trabalho da Mylena! E ainda esses modelos.. que time!
                                Mah Franklin: é isso! boa noite Igi
                                Mah Franklin: espero que fiquem bem por ai
                                Mah Franklin: beijos! 💙

[21:40, 12/05/2020] Igi: sim ela é perf, y o time todo tbm.

                                                   Igi: sim sim, miga
                                                   Igi: se cuida aiw tbm y tudo de lindo a todos a sua volta
                                                   Igi: beijo beijo