Status Covid | E a pandemia, como anda?






Ultrapassamos 3 bilhões de pessoas vacinadas no mundo todo e no Brasil já são mais de 100 milhões com a imunização em dia. Apesar disso, o mundo segue em alerta.



Alerta de atualização: 22/11/2021



Já estamos caminhando para o fechamento do segundo ano de pandemia. Embora os avanços científicos para contenção e proteção contra o coronavírus estejam cada vez mais consistentes, ainda não parece ser o momento de relaxarmos.


O número de óbitos no mundo todo ultrapassa 5 milhões — considerando, óbvio, os que puderam ser de fato contabilizados. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse número com certeza “subestima o total de vítimas” do coronavírus”.


O MJournal se compromete a seguir com as atualizações do STATUS, pois entendemos que mesmo que o assunto tenha tido uma queda de interesse e cobertura, ainda faz sentido reunir aqui informações para nos mantermos informades a respeito da pandemia.




NO MUNDO


+ 258 

milhões de pessoas infectadas

+ 233 

milhões de casos que se recuperaram

Acompanhe aqui

Fonte:  World do meters.
NO BRASIL


+ 22

milhões de pessoas infectadas

+ 612 

mil óbitos

Acompanhe aqui

Fonte: CONASS, Conselho Nacional de  Secretários da Saúde
.
PESSOAS TOTALMENTE VACINADAS

+ 3

bilhôes no mundo

+ 128

milhões no Brasil

Acompanhe aqui

Fonte: Our Wold in Data. 


Giro no globo:







Na Europa tem se falado em 5ª onda. Na semana passada, a Áustria foi o primeiro país a impor novo lockdown para tentar conter novos picos de transmissão. Inclusive, foi levantada a possibilidade de aplicar lockdown apenas para não-vacinados, como estratégia para ampliar os imunizades no país.

E para quem acha que está tudo voltando “ao normal”, a Alemanha, que até alguns meses atrás não apresentava grande números de casos, pareceu ter perdido o controle da pandemia, estando em situação pior do que a França e a Itália. Sim, a Europa voltou a ser o epicentro da pandemia.

Talvez por essas e outras, a China segue focada em zerar os casos de coronavírus. Enquanto outros países estão entendendo como conviver com a doença, o país asiático tem como objetivo acabar com os casos.

Vale ressaltar que o perigo de tudo isso é que alguns países ainda não acessaram nenhuma vacina. A OMS até afirmou que esse problema fará com que a pandemia dure mais do que já era previsto. Se tá difícil de entender a gravidade, bom: um estudo verificou que a pandemia causou a maior queda na expectativa de vida nos países ocidentais desde a Segunda Guerra Mundial. Sim, sem tempo para afobações, gente.

Outra notícia importante e alarmante: autoridades alertam que Covid-19 acelerou a aparição de superbactérias.

Agora Brasil:




Estamos com 60% da população completamente vacinada, passamos até a proporção dos EUA. É motivo para comemorar? Com certeza. Mas para a galera que quer falar no ”novo normal”, ainda há muito para considerar: as variantes presentes, as pessoas que não voltaram para a segunda dose, as medidas de restrição nessas reaberturas, etc. Só para não nos deixarmos levar demais: devido a pandemia, o Brasil teve o maior aumento de mortes em 37 anos.

Já sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), ainda estamos no aguardo das consequências de seu relatório. Na próxima terça-feira (23), ex-integrantes da CPI da Pandemia pretendem cobrar explicações sobre o andamento da investigação preliminar que analisa o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito. A ideia é que ainda esse ano tenhamos notícias sobre isso.

Pela preservação da memória dos muitos que perdemos, indicamos que vocês confiram os depoimentos dos familiares e amigos de algumas das vítimas da pandemia no Brasil. Certamente, foi um dos dias mais importantes da Comissão

Vacinas e variantes:




A gente repete, para não ter dúvida: durante uma pandemia, ainda que seja esperado que o vírus passe por mutações conforme vai sendo transmitido, a falta de controle da transmissão só agrava as mutações e suas consequências.

Não se deixem enganar: sei que o compartilhamento de mais pessoas vacinadas anima, e notícias de reaberturas mundo afora nos dão um pouco de esperança, mas só para que vocês entendam: apenas 42% da população mundial foi completamente vacinada contra o coronavírus. Ainda é uma porcentagem pequena, falando de pandemia. E os países mais ricos têm excedente de vacinas, correndo o risco inclusive de perder 250 milhões de doses por vencimento.

Além disso, segundo pesquisadores, a cada variante do covid-19 que surge, aumenta o número mínimo necessário de pessoas vacinadas para conter a circulação do vírus. Inclusive, a variante Delta, “a mais popular” do momento, dobra o risco de hospitalização, segundo estudo. Há sinais de que essa variante ameace postergar o controle da pandemia, mesmo após a imunização.

Ainda que a vacinação siga avançando, estar completamente imunizado não garante que não possamos ser infectados. Isso não significa que as vacinas não sejam efetivas! Afinal, a principal função da vacina é evitar que a doença avance para estágios mais graves. Por favor, tomem a segunda dose! E caso necessário e possível, a terceira também.



Para continuar se cuidando:


Primeiramente, vamos evitar a todo custo a propagação de fake news; já basta autoridades potencializando o negacionismo. Estamos combinades assim? Obrigada! Acredito que quem lê o MJournal curte muito dar o bracinho para a vacina contra o covid, né? Por favor, a contradição tem limite. Então, ó, saquem essa: 4 fatores que aumentam o risco de pessoas vacinadas pegarem covid. Vale conferir também: cuidados no dia a dia para vida pós 2ª dose.
Ah, para quem ainda não sabe: saiu uma pesquisa contando que o risco de transmissão da Covid-19 por superfícies é muito baixo. Portanto, é legal ficar mais atente à ventilação dos ambientes. Mesmo assim, segue aqui um link com dicas para evitar a infecção em lugares fechados! Espie ainda: 9 coisas que a ciência aprendeu com o coronavírus.

Mais alguns links importantes: estudo que comprova a importância de usar a máscara PFF2 ou N95; cuidados após a vacinação; porque tratar Covid-19 com remédios não é tão efetivo; tabela para avaliação do risco de eventos sociais; e medidas cruciais contra o coronavírus. Além disso, teve um novo estudo que comprova a relação entre dengue e covid-19! Bora se comprometer a ficar por dentro desses artigos e espalhar essas informações?

E lembrando, para quem se vacinou, mesmo com a segunda dose, ainda há medidas para seguirmos atentes! E consideremos que precisamos começar a pensar em como nos preparar para uma próxima pandemia. Um outro conteúdo que é interessante acompanhar é essa análise de como a pandemia provoca a produtividade tóxica e como combatê-la!

︎

Sim, não aguentamos mais tudo isso. Tá todo mundo esgotade, mas a paciência ainda se faz muito necessária. Por isso, como de praxe, se puderem, fiquem em casa. E ao sair, usem máscara. E vamos combater os discursos antivacina, pelo amor de.



Reportagem: Jessica Amorim



Mjournal Ed.008-Realidade é uma lacuna dos sonhos.