Status Covid | E a pandemia, como anda?







Chegamos a 2 bilhões de pessoas vacinadas no mundo. No Brasil, também temos comemorado nossos números, o que tem impulsionado a reabertura total dos espaços em vários estados. Mas será que chegou esse momento? Experiências lá foram mostram que provavelmente não.



Alerta de atualização: 09/09/2021







Quem aí estava sentindo falta das atualizações do STATUS? MJournal precisou fazer uma pausa na programação, mas aqui estamos. Em breve, vamos fazer um ano de STATUS COVID, e a esperança era de que esse aniversário não acontecesse, pra ser sincera. Mas a realidade segue nos surpreendendo, e é da responsabilidade de todes se manter informades e conscientes. Então vamos lá.
O número de óbitos no mundo todo ultrapassa 4 milhões e meio — considerando, óbvio, os que puderam ser de fato contabilizados. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse número com certeza “subestima o total de vítimas” do coronavírus.
Nós, da equipe MJ, temos sentido essas ausências na pele, e prestamos nossa solidariedade a todes que perderam pessoas queridas no último ano. Também manifestamos nossa indignação por todas as vidas perdidas em decorrência do descaso das autoridades com medidas adequadas de saúde pública.

Para que a gente possa continuar se cuidando e torcer por dias melhores, vamos de giro para combater a desinformação?
A União Europeia alcança o objetivo de vacinar completamente 70% da população adulta, enquanto isso, os Estados Unidos têm internação recorde de crianças com Covid-19. Sim, semana passada inclusive, o país estava com cinco estados com lotação em hospitais devido à Covid-19. Há uma grande cultura de não-vacinados. Tem até empresas punindo funcionários que não se vacinaram, Delta Airlines que o diga! A coisa anda tão louca por lá, que tem até igreja fazendo sermão contra as vacinas. Que perigo, né?
Malásia também se encontra em onda preocupante de casos do coronavírus. Israel segue com aumentos de casos, e por isso impôs restrições para todas as pessoas a partir dos 3 anos de idade: criança precisa apresentar carteira de vacinação ou teste negativo.

Já deu para entender que as coisas não estão sob controle ainda, né? No Brasil, segundo a revista Piauí, o primeiro dia do mês de setembro teve uma morte de covid-19 a cada 119 segundos.
Assim, muitos países estão aprovando a aplicação da terceira dose, apesar da OMS ter feito um pedido de moratória mundial para tentar impedir essa etapa, devido à preocupação com populações mais vulneráveis do mundo que ainda não tiveram acesso nem à primeira dose.
Enquanto isso, vários locais seguem suas medidas de reabertura devido ao avanço da campanha de imunização e ao recuo dos números de óbitos e casos graves. A Austrália que o diga: depois de tanto tempo investido em lockdowns bem-sucedidos, o governo do país resolveu abandonar essa estratégia. Especialistas acham muito arriscada essas reaberturas, tendo em vista que onde houve alívio de restrições, houve também aumento significativo de casos.

Ah, e uma notícia bem importante: agências de espionagem dos EUA concluem que coronavírus não é “arma química”, mas não conseguem saber sua origem ainda.
Vamos aos pormenores? Não é tempo de negacionismo.












NO MUNDO


+ 223

milhões de pessoas infectadas

+ 200

milhões de casos que se recuperaram

Acompanhe aqui

Fonte:  World do meters.
NO BRASIL


+ 20 

milhões de pessoas infectadas

+ 584

mil óbitos

Acompanhe aqui

Fonte: CONASS, Conselho Nacional de  Secretários da Saúde
.
PESSOAS TOTALMENTE VACINADAS

+ 2

bilhôes no mundo

+ 67

milhões no Brasil

Acompanhe aqui

Fonte: Our Wold in Data. 


Brasil primeiro:




Pela primeira vez, desde outubro do ano passado, o país não tem nenhum Estado em nível crítico de ocupação de leitos. E isso se dá porque a média de óbitos tem caído no Brasil, o que tem levado muitas pessoas a decretar “um novo normal”. O que essa gente anda esquecendo é que estamos longe de algum alívio: ainda somos o terceiro lugar de casos no mundo. E tudo isso em meio a tantas outras crises enfrentadas no país, como a hídrica, a democrática e a fome.

Nesse cenário de descaso das autoridades e desmonte das políticas públicas de saúde, a organização independente da população tem sido fundamental para contermos o avanço da doença. A gente não ficou sabendo da importância de usar PFF2 por campanhas do governo, né? Inclusive, bora reviver aqui a ótima campanha desenvolvida pelo comediante Rapha Vicente em parceria com a Dados do Bem, a Redes da Maré, a SAS Brasil e a Fiocruz. Foram muitos tabus sendo quebrados!

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga as irregularidades cometidas pelo governo no gerenciamento da crise sanitária, retomou os trabalhos presenciais no começo de agosto. Em um breve resumo: Ricardo Barros (PP-PR), líder do Governo Bolsonaro na Câmara, envolvido no escândalo da Covaxin, foi convocado como testemunha para CPI e fez um escarcéu: além de mentir descaradamente, afirmou que a CPI afastou as vendas de imunizantes ao país. E agora estamos aguardando o depoimento do advogado Marconny Albernaz Ribeiro, suposto lobista da Precisa Medicamentos — empresa que intermediou a compra, pelo governo, de doses da Covaxin. Ele até fez uma simulação pra conseguir um atestado e não comparecer à CPI, mas depois de ter sido dedurado pelo próprio médico, decidiu sumir por conta própria. Semana que vem parece que vai. Será? De todo modo, a Comissão está chegando em sua reta final.

A pergunta que não quer calar é: e o impeachment? Bom, teve umas manifestações pró-B* (??????) no último 7 de setembro, mas, diante das ameaças golpistas feitas durante os atos, o STF está falando em crime de responsabilidade e pressionando o presidente da câmara Arthur Lira (PP-AL) a fazer alguma coisa. Serasse? Randolfe Rodrigues, Senador e vice-presidente da CPI da Pandemia, afirma que: ”Nunca se cometeram tantos crimes como nos últimos anos de Jair Bolsonaro”. Hmm, jura?

Ah, e para não dizer que não falamos de flores: a Spintec, vacina da UFMG, em breve está pronta para testes clínicos. E a Anvisa recebeu pedido de autorização de mais uma vacina brasileira, dessa vez da UFRJ. Mais vitórias para a ciência brasileira, apesar do Brasil, né?










Variantes e vacinas:




A gente repete, para não ter dúvida: durante uma pandemia, ainda que seja esperado que o vírus passe por mutações conforme vai sendo transmitido, a falta de controle da transmissão só agrava as mutações e suas consequências.

Não se deixem enganar: sei que o compartilhamento de mais pessoas vacinadas anima, e notícias de reaberturas mundo afora nos dão um pouco de esperança, mas só para que vocês entendam: apenas 29% da população mundial foi completamente vacinada contra o coronavírus. Ainda é uma porcentagem pequena, falando de pandemia. Segundo pesquisadores, a cada variante do covid-19 que surge, aumenta o número mínimo necessário da população vacinada para conter a circulação do vírus. Inclusive, a variante Delta, “a mais popular” do momento, dobra o risco de hospitalização, segundo estudo. Há sinais de que essa variante ameaça postergar o controle da pandemia, mesmo após a vacinação.

Aqui no Brasil, além do aumento de casos da Delta, temos também a variante Gama, que segundo cientistas, é uma variante ainda mais “turbinada”. E há pouco mais de uma semana, detectaram ainda a variante Mu! Cês tão entendendo que a gente pode e deve comemorar a imunização, mas não pode vacilar?!?!

Ainda que a vacinação siga avançando, estar completamente imunizado não garante que não possamos ser infectados, o que não significa que as vacinas não sejam efetivas! Afinal, a principal função da vacina é evitar que a doença avance para estágios mais graves. Por favor, tomem a segunda dose!






Para continuar se cuidando:




Primeiramente, vamos evitar a todo custo a propagação de fake news; já basta autoridades potencializando o negacionismo. Estamos combinades assim? Obrigada!

Agora, para quem ainda não sabe: saiu uma pesquisa contando que o risco de transmissão da Covid-19 por superfícies é muito baixo. Portanto, é legal ficar mais atente à ventilação dos ambientes. Mesmo assim, segue aqui um link com dicas para evitar a infecção em lugares fechados! Segue até um link de 9 coisas que a ciência aprendeu com o coronavírus.

Mais alguns links importantes: estudo que comprova a importância de usar a máscara PFF2 ou N95; cuidados após a vacinação; porque tratar Covid-19 com remédios não é tão efetivo; tabela para avaliação do risco de eventos sociais; e medidas cruciais contra o coronavírus. Além disso, teve um novo estudo que comprova a relação entre dengue e covid-19! Bora se comprometer a ficar por dentro desses artigos e espalhar essas informações?

E lembrando, para quem se vacinou, mesmo com a segunda dose, ainda há medidas para seguirmos atentes! E consideremos que precisamos começar a pensar em como nos preparar para uma próxima pandemia.
Outro conteúdo que é interessante acompanhar é essa análise de como a pandemia provoca a produtividade tóxica e como combatê-la!



︎


Sim, não aguentamos mais tudo isso. Tá todo mundo esgotade, mas a paciência ainda se faz muito necessária. Por isso, como de praxe, se puderem, fiquem em casa. E ao sair, usem máscara. E vamos combater os discursos antivacina, pelo amor de.

Reportagem: Jessica Amorim



Mjournal Ed.008-Realidade é uma lacuna dos sonhos.