STATUS COVID | E a pandemia, como anda?




A Covid-19 segue se espalhando na maior parte dos países. No Brasil, um risco letal e presente.



Alerta de atualização: 22/04/2021


Vamos de rápido giro no mundo. No começo de março, o ministro da saúde da Índia, Harsh Vardhan, declarou que o país estava na "fase final" da pandemia, mas a esperança e o otimismo foram tantos que as coisas começaram a se complicar de novo: após uma torcida de 130 mil torcedores assistirem a um jogo de críquete, incluindo milhares sem máscara, o país entrou numa nova onda devastadora. A Espanha prometeu distribuir 7,5 milhões de vacinas na América Latina. Os Estados Unidos recomendam não viajar para 80% dos países do mundo, entre eles o Brasil. O Chile afirma que a Coronavac tem 80% de efetividade para prevenir morte. Enquanto isso estão acontecendo vários ensaios em misturas de vacinas para potencializar a luta contra o coronavírus. E por aqui, está acontecendo a CPI da Covid-19, que investigará o Governo Bolsonaro e suas medidas durante a pandemia, bem como repasses federais a Estados e municípios. Quanto tempo para o impeachment? Vai saber...


Ah, gente, como já falamos anteriormente, saiu uma pesquisa contando que o risco de transmissão da Covid-19 por superfícies é muito baixo. Portanto, é legal ficar mais atento à ventilação dos ambientes.


Vamos a mais notícias. Não é tempo de negacionismo.

NO MUNDO


+ 144

milhões de pessoas infectadas

+ 122

milhões de casos que se recuperaram

Acompanhe aqui

Fonte:  World do meters.
NO BRASIL


+ 14 

milhões de pessoas infectadas

+ 378

mil óbitos

Acompanhe aqui

Fonte: CONASS, Conselho Nacional de  Secretários da Saúde
.
DOSES DE VACINAS ADMINISTRADAS


+ 928

milhões no mundo

+ 33

milhões no brasil

Acompanhe aqui

Fonte: Our Wold in Data. 


BRASIL PRIMEIRO:




Vamos repetir para gravar: março foi um mês mortífero para o Brasil e a previsão é que abril encerre como ainda mais sombrio (COMO???). Em notícias estrangeiras, somos uma ameaça à saúde global. Inclusive, brasileires só podem viajar sem restrição para 9 países do mundo inteiro — mas não que alguém esteja podendo fazer isso por aqui, né? A situação por aqui anda de um jeito que uma pesquisa apontou que o brasileiro perdeu quase 2 anos de expectativa de vida na pandemia, e 2021 deve ser pior. Bem animador, né?

O plano de vacinação segue ultralento e ainda temos muitos entraves para acelerar esse processo. Um deles é a abstenção que está rolando para a segunda dose: sim, as pessoas estão deixando de tomar a última dose da vacina, o que é muito prejudicial para o processo de imunização como um todo. Do jeito que tá, talvez terminaremos de vacinar a população só em 2024. Ainda mais com as investidas para facilitar a vacinação privada… Quem aguenta mais anos desse jeito, gente? Porque cientistas de dados afirmam que o Brasil não está nem perto da queda de casosAinda mais com essas reaberturas e “fases de transição” das áreas comerciais que têm rolado que nem ping pong.

Mas olha, o rolê mais torto foi uma médica em Manaus que estava fazendo teste clandestino com cloroquina nebulizada, o que resultou na morte de cinco pessoas. Este caso também se repetiu no Rio Grande do Sul. E para “competir” com essa: a Hutukara Associação Yanomami denunciou que garimpeiros estariam sendo vacinados em troca de ouro, o que está prejudicando a imunização de populações indígenas. Não sei mais o que dizer...




VACINAS
x
MUTAÇÕES.




Durante uma pandemia, é esperado que o vírus passe por mutações conforme vai sendo transmitido. E sim, embora estejamos seguindo com a imunização, é preciso gravar bem: a expansão da pandemia continua descontrolada, o que, infelizmente, facilita ainda mais o surgimento de novas variantes. É por causa delas que a terceira onda está rolando no meio de vários programas de vacinação em andamento

E como anda a compra de vacinas pelo mundo no meio disso tudo? A última notícia que me chocou foi que países ricos têm 'bloqueado' planos de produção de vacinas em nações em desenvolvimento. Sim, nunca há limite para se decepcionar. Ah, e outra bizarrice que surgiu é que supostas vacinas e certificados de vacinação contra covid-19 têm sido vendidos na deep web, então, por favor, cuidado aí.

Mas fora isso, também começaram os testes de vacinas em crianças. Farmacêuticas como Pfizer, Janssen e Moderna buscam candidatos a partir de seis meses para os ensaios. Embora a doença afete pouco os pequenos, eles podem atuar como reservatório do vírus. E a China começou a avaliar a possibilidade de misturar várias vacinas.

Desde o início da pandemia de coronavírus, já foram registrados no planeta nada menos do que 2,7 mil ensaios clínicos de tratamentos experimentais contra a covid-19, e há algumas novidades interessantes que podem surgir como um antiviral de uso oral, mas enfim, tudo ainda está sendo estudado.

E lembrando, para quem se vacinou, mesmo com a segunda dose, ainda há medidas para seguirmos atentes!


ORIGEM X NOVAS PANDEMIAS




Com toda essa saga aí do coronavírus, muitos estudos têm sido realizados. Mais recentemente a OMS apresentou algumas conclusões das investigações realizadas na China sobre a origem. Mas tudo ainda é muito no tom de “provavelmente”, sendo incerto ainda como começou a contaminação do coronavírus.

Entre essas conclusões, foi relatado que: 1) é possível que a origem tenha sido contágio direto de animal para humano; 2) que é provável que tenha existido um animal intermediário entre o animal infectado e o homem; 3) é possível que o vírus tenha atingido os humanos por meio de produtos alimentícios; e 4) é "extremamente improvável" que o vírus tenha atingido os humanos devido a um incidente em laboratório.

Ao mesmo tempo, foram descobertos quatro novos coronavírus relacionados a covid-19 em morcegos da China. Tenso, né?

Mas ainda falando em descobertas, estudos recentes têm apresentado a possibilidade dos camelos serem a origem da próxima pandemia. Como assim? Eles podem ser portadores da Mers-CoV, um novo coronavírus que até agora provou ser pelo menos 10 vezes mais mortal que a covid-19. Especialistas explicam também que a ameaça é maior por conta dos humanos mesmo: as mudanças climáticas induzidas pela sociedade tornam as secas mais frequentes, o que leva os pastores a trocarem vacas e outros animais pelos camelos, que conseguem sobreviver semanas sem água.

Sobre isso, a diretora de Meio Ambiente da OMS também falou sobre como as intervenções humanas no planeta influenciam o surgimento de pandemias: “70% dos últimos surtos epidêmicos começaram com o desmatamento”. Em entrevista, a virologista Angélica Campos também reforça que a destruição dos ecossistemas do planeta  “contribui de forma decisiva para o surgimento de novas doenças”. E aí, quando será que a gente vai entender a urgência das pautas climáticas?


︎


Sim, não vemos a hora de sair dessa. Tá todo mundo esgotade de tudo isso, mas a paciência ainda se faz muito necessária. Por isso, como de praxe, se puderem, fiquem em casa. E ao sair, usem máscara. E vamos combater os discursos antivacina, pelo amor de.


P.S. sei que ninguém aguenta mais falar de pandemia, coronavírus… Mas quando for possível, contribuam disseminando informações importantes e verídicas.



Reportagem: Jessica Amorim

MJOURNAL ED.007- UMA IMAGEM CURA MAIS DO QUE MIL PALAVRAS.